quarta-feira, 2 de fevereiro de 2022

quando se acredita em amor após a morte....

 




Há 3000 anos, esta mulher decidiu se enterrar viva, com seu marido falecido.
Os esqueletos e um par de foices foram encontrados na Ucrânia, enterrados lá desde 1000 anos antes da Era Comum, ou há 3000 anos.
A particularidade?
Os amantes estavam próximos um ao outro em sua cova.
De acordo com o professor Mykola Bandrivsky:
"Ambos os rostos estavam a olhar um para o outro e as suas testas estavam a se tocar.
A mulher estava deitada de lado, com o braço direito apertava o homem e o pulso dela repousava no ombro direito.
As pernas da mulher estavam dobradas - deitadas em cima das pernas do homem, esticadas."
Uma posição que revelou um detalhe:
Após análise, arqueólogos confirmaram que o homem tinha morrido antes da parceira.
Principalmente, a posição da mulher sugere que teria sido impossível permanecer assim se morta no momento do enterro.
Então, especialistas afirmam que a mulher decidiu voluntariamente ser enterrada viva ao lado do marido.
Alguns seres humanos da idade do bronze acreditavam na vida e na alma eternas, por isso é bastante plausível imaginar que a mulher preferiu morrer ternamente com o marido, na esperança de se juntar a ele na vida após a morte.
Especialistas pensam que ela poderia ter bebido veneno antes de descer à cova, para fazer da sua morte algo rápido e indolor.
Da página Art, Culture et Histoire.


0 comments:

Postar um comentário