quinta-feira, 13 de agosto de 2020

Entenda o que é leasing e conheça os tipos mais utilizados

 

Você sabe o que é leasing? Apesar de parecer um termo novo, corresponde a um contrato que possibilita utilização de equipamentos ou imóveis por um prazo determinado, por mediação de um arrendador. Logo, se está precisando levantar recursos de forma rápida para adquirir algum bem, essa pode ser a sua solução.

Adquirir um veículo é o sonho de muita gente, porém, nem todo mundo dispõe de dinheiro suficiente para efetuar a compra. Esse conceito tem ganhado cada vez mais espaço no mercado e, em decorrência disso, nos últimos anos, inúmeras pessoas optaram por realizar financiamento por leasing.

Por meio dele é possível usufruir do veículo pagando taxas mensais durante um tempo determinado. Portanto, leasing e financiamento são as duas modalidades mais utilizadas para a compra de automóveis e imóveis.

Sabendo disso, elaboramos este artigo para explicar o que é esse conceito e outros aspectos sobre esse assunto. Acompanhe a leitura e confira!

O que é leasing?
Leasing, do inglês para o português, significa “locação”. Sendo assim, este é um arrecadamento mercantil ou locação financeira que acontece por meio de uma arrecadadora ou locadora, que são empresas que oferecem tal serviço.

Com essa locação ou arrecadação, o cliente escolhe um bem, seja um veículo, imóvel ou equipamentos, e o aluga por um prazo acordado mediante contrato. Ao fim desse acordo, o locador tem a opção de renovar ou realizar a devolução do bem.

Ao contrário do que muitos pensam, o arrecadamento mercantil é legalizado na legislação brasileira. Para fins legais, as partes são conhecidas como arrendador e locatário, em que o primeiro é o banco ou empresa de arrecadação e o segundo é o cliente.

Para isso, existem dois tipos de contrato:

rendas constantes postecipadas: os valores de locação são quitados ao fim de cada período do contrato;
rendas constantes antecipadas: os valores serão quitados no início de cada período do contrato, podendo ser mensal ou trimestral, por exemplo.
Além disso, é importante ressaltar que, ao finalizar o contrato, o locatário pode fazer a compra do bem.

Quais são as principais formas de financiamento por leasing?
E então, conseguiu compreender o que é o leasing e como ele funciona? Como mencionado anteriormente, essa modalidade diz respeito a um contrato de arrendamento mercantil, ou seja, em vez de comprar, você pode optar por alugar um carro por um período preestabelecido, pagando uma quantia mensalmente.

Confira, a seguir, os quatro tipos de leasing e descubra qual opção melhor se enquadra às suas necessidades.

Leasing operacional
Nessa modalidade contratual de leasing, o locatário não tem, a princípio, a intenção de comprar o bem alugado após o término do contrato. Com isso, após o prazo estipulado para utilização e, com o cumprimento de todas as obrigações de ambas as partes, o cliente pode devolver o bem ou o vencimento pode ser estendido.

Contudo, ao fim do contrato, caso o locatário tenha a intenção de adquirir o item, ele pode pagar pelo preço de mercado. No leasing operacional, o valor a ser pago corresponde a 80%, ou seja, ao início do acordo uma parcela será quitada para fins de garantia.

Leasing Financeiro
Ao contrário do leasing operacional, nessa modalidade, o locatário tem a intenção de adquirir o bem ao fim do contrato, por um valor que é determinado no ato do acordo. Nesse caso, não há uma cláusula de prestação de serviços, pois se trata de um tratado de locação ou devolução e, posteriormente, compra. Dentre as opções existentes, esse é o tipo mais procurado e utilizado hoje.

Mas, se o cliente desistir de comprar o bem? Nessa situação, o arrendador tem a obrigação de devolver o valor pago ao título de antecipação. Por isso, o valor pago como garantia é menor quando comparado à quantia paga no leasing operacional, já que é possível que ocorra a devolução.

Leasing imobiliário
O leasing imobiliário pode ser considerado um investimento ou financiamento de um imóvel em médio ou longo prazo. No entanto, para as pessoas físicas, essa modalidade vem se tornado menos atrativa, visto que o financiamento é a melhor opção.

Ao conhecer as diferenças entre os tipos de leasing, é fundamental entender o funcionamento de cada um. Mas, afinal, você sabe como funciona o leasing imobiliário? Uma instituição de crédito, que é a locadora, “empresta” um imóvel a uma empresa particular, que é a parte locatária.

Em troca desse empréstimo, o cliente que alugar paga mediante contrato uma espécie de renda ao proprietário do imóvel por um prazo determinado em acordo. Ao término do contrato, também há a opção de compra do imóvel.

Leaseback
Conhecido também como leasing de retorno, essa é uma forma de criar um capital de giro para empresas. Nessa modalidade, a parte arrendatária vende um bem e logo em seguida você aluga este mesmo item, ou seja, você vende para alugar de quem comprou.

Sendo assim, torna-se de grande uso para empresas que desejam conseguir recursos financeiros e que pretendem readquirir seu patrimônio. Entretanto, o leaseback apresenta uma desvantagem, pois sua prática só é permitida para pessoas jurídicas.

Quais são as vantagens do leasing?
Além de saber o que é leasing, é muito importante conhecer as suas principais vantagens. O leasing tem sido muito utilizado por pessoas que querem adquirir carros novos. Afinal, os juros e taxas são consideravelmente menores e, ainda, há a isenção do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras).

Em vista disso, você consegue ter mais agilidade e rapidez na negociação e financiar o valor total do veículo. Assim, em contratos de arrendamento mercantil ou locação financeira, o cliente tem mais facilidade em ter o seu crédito aprovado. Isso acontece porque o bem é registrado como posse de um banco e como garantia de pagamento. Ótimo, não é?

Quais são as desvantagens do leasing?
Como nem tudo são flores, o leasing também apresenta desvantagens. Dependendo da sua necessidade com o bem que alugou, a vantagem de estar registrado como propriedade de um banco pode se tornar uma desvantagem se você desejar vender o bem antes de terminar o contrato.

Além disso, caso não cumpra as cláusulas estabelecidas ou decida cancelar antecipadamente o acordo, você será altamente penalizado. Dessa forma, caso ainda não tenha quitado o bem, você encontrará muita burocracia na tentativa de vendê-lo.

Qual é a diferença entre leasing e financiamento?
Bom, agora que você já aprendeu sobre todas as modalidades de leasing, vamos compreender a sua diferença do financiamento.

Como dito, o objeto alugado é uma propriedade do banco que funciona como locador no leasing. Logo, ao término do contrato, você poderá comprar esse bem. Já no financiamento, o cliente adquire uma posse por meio de recursos de uma financeira ou banco, o que lhe dá direitos sobre o mesmo.

Embora cause confusão na cabeça de muita gente, leasing e financiamento são procedimentos diferentes. No caso do primeiro, o bem é de propriedade do arrendador, geralmente, um banco, que concede o direito de usufruir mediante o pagamento, por um prazo determinado. Em contrapartida, ao fim do contrato, há a possibilidade de compra do bem pelo arrendatário.

Já no financiamento, o cliente realiza a compra, utilizando recursos de terceiros, como bancos e empresas de crédito. Desse modo, ao pagar todas as prestações do financiamento, o cliente se torna dono do bem, tendo-o registrado em seu nome.

Portanto, salientamos que é importante ter claro o que é leasing para identificar qual a melhor solução para a sua empresa.

Quais são as divergências comuns entre cliente e banco?
Com tantas regras na hora de alugar um veículo ou imóvel, inúmeros conflitos podem ser gerados entre clientes e bancos. Dentre as principais causas de divergências, podemos citar as devoluções de bens, uma vez que os bancos fazem o possível para que os clientes paguem as parcelas até o fim do acordo para evitar prejuízos.

Outro conflito que pode ser gerado é a devolução do bem com a solicitação do valor de garantia, que é conhecido como Valor Residual Garantido (VGR). Há casos em que o banco nega essa devolução e o cliente também recebe o ganho da causa.

Contudo, em situações como essa, a justiça entende que o cliente ou locatário não é obrigado a pagar qualquer quantia referente a algo que não vai ser seu no futuro.

Como optar entre o CDC e o leasing?
Se você pretende comprar um carro financiado futuramente, é fundamental entender como funcionam as modalidades disponíveis, como o Crédito Direto ao Consumidor (CDC) e o leasing, e as outras modalidades oferecidas pelas instituições financeiras.

Atualmente, o CDC é a categoria de financiamento mais utilizada no Brasil. Nela, o comprador consegue antecipar prestações a qualquer momento, com o objetivo de obter desconto dos juros. Além disso, ele não impõe nenhum tipo de restrição quanto ao número mínimo de parcelas.

Apesar de ofertar uma taxa de juros menor, o leasing não apresenta benefícios para a antecipação de parcelas. Por outro lado, não há incidência do imposto sobre operações financeiras, o que acaba diminuindo o valor das prestações. Dessa forma, antes de optar pelo CDC ou pelo leasing, é indispensável avaliar quais são as suas reais intenções com o veículo.

Muitos empresários, ao decidirem abrir a empresa dos sonhos, acabam recorrendo ao financiamento por leasing, visto que nem sempre dispõe do capital necessário para arcar com os custos iniciais desse processo.

Nesse caso, é essencial saber o que é e conhecer as opções de leasing e financiamento disponíveis, de modo a auxiliar na escolha mais viável, além de estar de acordo com o perfil do negócio.

Achou este post interessante e quer ter acesso a todas as nossas novidades do blog? 



0 comentários:

Postar um comentário