terça-feira, 21 de junho de 2016

Locação tem garantido a festa de microempresários

Ganhar dinheiro com brincadeiras, já pensou? São risos, alegrias, diversão e, também muito trabalho para quem aluga brinquedos para fazer a festa da criançada. E para dar o play nesse negócio não é preciso gastar muito. Com R$ 15 mil é possível comprar uma piscina de bolinhas, pula – pula e um tobogã inflável para alegria dos pequenos. Investir em equipamentos como máquinas de crepe, algodão doce, pipoca, hot dog, também é uma opção para ampliar o faturamento da empresa em pouco tempo.

Os sócios da G Festas Luiz Guilherme Alves, 22, e Francisco Ricardo Costa Filho,25, estão há dois anos nesse mercado e começaram somente com uma cama elástica, com um faturamento médio de R$ 30 por dia.

“O investimento inicial foi de R$ 1.100. Em menos de um ano a gente conseguiu comprar três pula-pulas, tobogã inflável, corrida maluca inflável, piscina de bolinhas, jogos de mesa, máquinas de algodão doce, pipoca, mini pizza, hot dog. Temos duas máquinas de cada equipamento, conta Guilherme.

Conforme Guilherme, para entrar nesse ramo é preciso ter tempo para cuidar da empresa. Ele lembra também que os brinquedos não são baratos. “Tem brinquedos de R$ 5 mil de R$ 10 mil. Os infláveis são os mais caros. Os maquinários custam entre R$ 800 e R$ 2 mil. Quem trabalha com festa não tem descanso. Agora em março é que eu vou tirar uma semana de férias”.

O preço do serviço varia conforme a necessidade de cada cliente. Os brinquedos são alugados por um período de quatro horas. “A cama elástica custa R$ 100, tem brinquedos que chegam à R$ 250, R$ 350. Cada máquina de guloseima tem um preço a cada 100 unidades. Custa de R$ 75 a R$ 200”.

Terceirização
Segundo o empresário, é necessário terceirizar serviços de pessoal para ajudar na montagem da estrutura e monitores para cuidar das crianças nos eventos. “Tem dias que a gente faz cinco festas. Dependendo do evento, eu posso precisar de dez pessoas, tem dias que eu preciso de vinte”. 

Entre as vantagens do setor, Guilherme explica que não é preciso ter loja física de aluguel dos brinquedos. “Atendendo na minha residência, os clientes fecham mais por telefone. Por isso, é importante registrar a empresa e emitir um contrato para o cliente ficar mais tranquilo. Aceitar cartão de crédito é outra facilidade para fechar os negócios”.

O faturamento da empresa gira em torno dos R$ 15 mil. Além dos serviços de aluguel, os sócios agregaram decoração de festas para dar um plus no orçamento. “Tem clientes que querem fazer tudo com a gente. Decoração, guloseimas, brinquedos. A gente tem uma clientela muito boa, eles adoram os nossos serviços”. (Vanessa Freitas, Especial para O POVO)

DICAS

MONTE SUA LOCADORA DE BRINQUEDOS

1 A locadora de brinquedos para eventos e festas infantis, além de oferecer brinquedos para crianças de 3 a 12 anos, pode também oferecer brinquedos para crianças de 0 a 2 anos de idade, que são brinquedos especializados no tamanho e necessidades desse nicho de mercado.

2 Além de atender festas, parques e brinquedotecas, o mercado para a locadora de brinquedos poderá atender também a colônia de férias, hospitais infantis e outros.

3 Os brinquedos devem proporcionar segurança e diversão. Para isso é necessário que os mesmos estejam de acordo com as normas do Inmetro para segurança e adequação a idade das crianças.

4 A locadora de brinquedos poderá também diversificar o oferecimento de produtos e serviços locando outros artigos para festas como artigos de decoração com temas infantis, buffet e bolos, apresentação de palhaços, decoração em geral e ainda a locação de carrinhos de pipoca e algodão.
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário